Qual Software usar para criar logotipo

Tenho certeza que em algum momento de sua carreira de Design você já se perguntou, qual software devo utilizar para criar meus logotipos?

software

E por isso hoje vou lhe recomendar o Adobe Illustrator, que ao na minha opinião é o melhor software para trabalhar com arte vetorial.

Mas antes de iniciarmos nesse assunto vou lhe recomendar o Blog: http://engins-blindes-francais.wifeo.com lá você encontra diversas dicas sobre o Adobe Illustrator inclusive no artigo: O que é o Illustrator? Você vai conhecer o Illustrator e entender em qual momento você deve utiliza-lo.

Voltando ao nosso artigo vou lhe contar um pouco sobre o Illustrator e lhe dizer porque você deve utiliza-lo, bom o Illustrator é um software da Adobe onde você pode criar arte vetorial, ou seja são cálculos matemáticos onde você pode aumentar o quanto quiser que não perde qualidade, diferente das artes em pixel como por exemplo artes criadas no Photoshop, inclusive recomendo o artigo 7 Atalhos do Photoshop que você precisa saber.

Similar ao Illustrator existe o Corel Draw que também é bastante conhecido e utilizado por muitos Designers, inclusive muitos que utilizam o Corel tem dificuldades para se adaptar ao Illustrator.

Portanto se você está iniciando em não tem conhecimento nem no Corel e nem no Illustrator recomendo que inicie no Illustrator pois eu acredito que o Illustrator é infinitamente superior a Corel, mas caso já tenha conhecimento no Corel, iniciei seus estudos no Illustrator pois quanto mais opções melhor.

corel draw

Algumas pessoas podem tentar te levar para o lado negro da força, indicando o Corel e dizendo que é melhor que o Illustrator, aconselho que os ignore pois existe muita competição quando se trata de Illustrator e Corel e acredite isso só prejudica o profissional, pois as ferramentas estão ai apenas para nos auxiliar em nossos trabalhos e não para idolatrarmos e tratarmos como objetos pessoas que devemos defender com unhas e dentes.

Então nada melhor que aprender as duas ferramentas e utiliza-las ao nosso favor em vez de ficar com picuinhas, tratando Ferramentas para Design como entes queridos.

Anúncios

7 Atalhos do Photoshop que você precisa saber

Hoje vou mostrar sete atalhos do Photoshop que você definitivamente precisa saber, são atalhos que eu uso o tempo todo quando eu estou trabalhando e que tornam o uso do Photoshop uma experiência muito mais fluida, muito mais ágil e muito mais produtiva.

É aquele tipo de coisa que a gente compara com andar de bicicleta por exemplo quando a gente não sabe pode parecer um pouco difícil um pouco complicado mas depois que a gente aprende se torna uma coisa completamente natural e que a gente faz até mesmo sem perceber, eu percebi que essa é uma dificuldade muito grande no meio fotográfico porque diariamente eu recebo mensagens de uma galera me perguntando como que eu consigo editar todas as fotos no Photoshop, foto por foto e as vezes isso pode parecer inviável por tomar muito tempo e o fato é que isso pode sim ser feito de uma forma rápida e produtiva, desde que a gente saiba os caminhos mais curtos para chegar nos resultados que a gente quer.

Vamos ver quais são esses atalhos, esses atalhos são todos atalhos de navegação que praticamente vão substituir a necessidade da gente usar essa paleta chamada Navigator que na versão em português é navegação ou navegador, mas basicamente a função desta paleta é trabalhar o zoom na imagem e navegar por ela, só que como vocês podem ver isso não é nem um pouco prático e como alternativa a essa paleta a gente pode usar as ferramentas de navegação aqui na barra de ferramentas, só que elas também não são nem um pouco práticas então a melhor opção acabar sendo usar esses atalhos de navegação, então vamos lá.

photoshop 2

Atalho Número 1

O primeiro atalho que eu tenho para passar para vocês é referente ao zoom, a gente pode estar trabalhando com qualquer ferramenta e basta pressionar CTRL Espaço Clica Arrasta Clicar e arrastar o mouse ou a caneta para a direita e para a esquerda para ter um zoom na imagem e automaticamente quando eu soltar essas teclas ele vai voltar para a ferramenta que estava selecionada anteriormente e essa é a forma mais rápida que a gente tem para dar um zoom na imagem.

Atalho Número 2

Tem também os atalhos conhecidos de todo mundo que são o CTRL C e o CTRL V e eles são ótimos atalhos também, mas o mais rápido disparadamente é CTRL Espaço O segundo atalho pode ser usado em conjunto com esse atalho do zoom que é o atalho para navegação onde a gente vai segurar apenas a tecla espaço para navegar na imagem e só com esses dois atalhos a gente já elimina completamente a necessidade de ter aquela paleta Navigator porque eu posso estar trabalhando com uma parte da imagem por exemplo aqui e agora eu quero ir para uma parte completamente diferente eu posso com CTRL Espaço tirar o zoom e com o espaço navegar até a outra área e aplicar o zoom novamente, então fica muito mais prático porque a gente vai usar poucas teclas para fazer isso e não precisa tirar a mão do mouse ou da caneta também.

Atalho Número 3

E o terceiro atalho que eu quero passar para vocês é para encaixar a imagem na tela, diversas vezes enquanto eu estou trabalhando na foto é muito importante eu visualizar a imagem inteira como um todo porque às vezes a gente acaba perdendo a referência por estar com o zoom muito aproximado, então se tem um atalho que eu uso o tempo todo é CTRL que vai fazer com que a imagem se encaixe na tela, e isso também vai me dar muita velocidade na hora de fazer esse procedimento e isso também vai me dar muita praticidade na navegação, então eu estava perto aqui, no olho aperto CTRL volto observo a foto como um todo e agora posso ir para o outro olho por exemplo para trabalhar de uma forma mais detalhada.

Atalho Número 4

photoshop tuto

O quarto atalho que eu quero mostrar para vocês é o CTRL ALT que vai colocar a visualização da imagem em que basicamente é quando pixel da foto fica exatamente do mesmo tamanho que pixel do monitor e isso permite que a gente visualize a nitidez real que essa foto possui e também permite que a gente visualize melhor o ruído que ela tem, então CTRL ALT usa o espaço para navegar e ter essa melhor visualização.

Atalho Número 5

Agora o quinto atalho que é o Rotate Tool é um atalho que tem nas últimas versões do Photoshop, eu acho que desde a versão CS 6 se eu não me engano Basicamente é a possibilidade da gente rotacionar a imagem de uma forma que fique muito mais confortável de trabalhar independentemente do que a gente estiver fazendo, e o atalho para essa ferramenta que se chama Rotate Tool na versão em português eu acho que a ferramenta Rotação basta que a gente pressione R clique e arraste a imagem que ele vai virando, isso é perfeito pra quando a gente quer trabalhar perto de arestas e ela está em uma posição que não favorece o traçado seja com o mouse ou seja com a mesa digitalizadora, então por exemplo se eu for fazer uma seleção aqui ou qualquer coisa que esteja na horizontal eu vou ser bem menos produtivo e sempre muito mais rápido eu fazer em uma posição mais confortável no caso para mim seria essa daqui eu sou canhoto tá Então seria mais confortável fazer assim e aí eu consigo rotacionar só clicando e arrastando com a ferramenta R e para voltar vou apertar CTRL para voltar ao ângulo normal para voltar a orientação normal da foto basta que a gente pressione ESC com essa ferramenta selecionada.

Atalho Número  6

O sexto atalho que eu quero mostrar para vocês é para redimensionar o pincel a gente sabe que existem várias formas de fazer isso e que a mais conhecida é usando os colchetes do teclado os famosos colchetes, a gente pressiona um para abrir e outro para diminuir, é bom é, ok, mas a melhor forma e a forma mais prática da gente trabalhar o tamanho do pincel é com um atalho que é bem pouco conhecido esse atalho é ALT botão direito do mouse roda o mouse para os lados, para a direita ele amplia e para a esquerda diminui e a grande vantagem é que além de trabalhar o tamanho do pincel a gente consegue trabalhar também a dureza mexendo o mouse para cima e para baixo então vamos lá ALT botão direito do mouse para cima eu vou ter uma dureza baixa ou seja um pincel com as bordas bem suaves e para baixo eu vou ter um pincel rígido com as arestas bem nítidas Então para a direita e esquerda é tamanho e para cima e para baixo dureza E essa tinta vermelha aqui ela também vai representar a opacidade do pincel que é o próximo atalho que a gente vai falar.

ps-marquee1440x660

Atalho Número 7

O último atalho é referente a opacidade e fluxo a alteração de opacidade e fluxo Eu vejo que pouca gente conhece esses atalhos apesar de eles serem muito muito simples e acabam usando essa barrinha aqui que é a forma menos prática da gente trabalhar com a opacidade e com o fluxo e o atalho é simplesmente apertar algum dos números do teclado e ele vai colocar lá na opacidade Então se eu apertar ele vai colocar se eu colocar ele vai colocar e se eu quiser colocar um número mais específico basta que eu pressione rapidamente os dois números que eu quero Então se eu quero colocar por exemplo eu vou apertar e e ele vai colocar isso na opacidade Se eu quiser colocar no fluxo eu tenho que segurar SHIFT antes tá Que aí ele vai alterar o fluxo E tem um porém se essa opção aqui estiver marcada ele vai inverter e aí se eu apertar os botões só eu vou estar trocando o fluxo agora e com o SHIFT eu troco a opacidade, eu deixo sempre essa opção marcada porque eu sempre trabalho mais com o fluxo do que com a opacidade.

Outra forma bastante legal de trabalhar com a opacidade e com o fluxo é arrastando pelo nome a gente pode clicar no nome e arrastar isso dá um controle bem grande também E ainda além da gente poder trocar a opacidade e o fluxo do pincel a gente consegue fazer isso também com a camada trocando a opacidade e o preenchimento da camada, o único detalhe é que pra fazer com que os atalhos funcionem para essa opacidade e para esse preenchimento é que a gente precisa estar com a ferramenta mover selecionada Então sempre quando eu quero alterar a opacidade de alguma camada eu aperto V que é o atalho para a ferramenta mover e o número que eu quero Então digamos que eu vou colocar aqui uma curva mais clara, coloquei mas eu acho que ficou muito forte eu quero reduzir a opacidade Eu posso estar com qualquer ferramenta eu vou apertar V ele vai pegar mover e eu vou colocar aperto e ele vai aplicar essa opacidade Então é isso galera viram só como dá sim para a gente ser bastante produtivo dentro do Photoshop.

Se gostou deste artigo, recomendo também:

Ferramentas para Design

Design x Arte

Na semana passada eu tive a ideia de fazer um trabalho e fiz todo o trabalho, desenvolvi ele inteiro e quando eu executei e fui mostrar algumas pessoas falaram assim, não mas isso não é design, isso é arte.

Aí eu falei Ah tá mas qual seria exatamente a diferença, como tudo na vida a gente recebe pelo trabalho que a gente faz infinitas críticas né, de todos os lados, eu conheço vários amigos meus que trabalham agora em agências de publicidade ou de design e as pessoas falam assim, careta, se vendeu ao mercado, que absurdo, você não tem mais voz, você está fazendo o que a coca cola manda.

Então tem muito essa crítica quando você vai para um lado que é mais comercial, por outro lado quem faz um design que é mais experimental mais maluco também ninguém entende, o mercado não compra a faculdade não ajuda, a família ajuda um pouco, minha família me apoia muito no design que eu faço quando mostro um projeto no Illustrator minha família fala muito isso, o elogio é o seguinte eu não entendo muito o que você faz mas parabéns, continua fazendo, então eles também não tem muita ideia do que a gente tá fazendo, então eles não entendem direito que eu faço Mas apoiam de algum jeito.

Quando você entra nesse design mais experimental mais louco tem muito de falar assim, não, não, isso não isso é arte, ou não isso aqui não é mais design, Isso é arte.
Quando você faz uma coisa muito maluca até a faculdade te reprime, o mercado te reprime, falam que isso não é design e como eles não sabem o que é eles falam mas isso é arte, e eu fui pesquisar isso porque muita gente falava que o que eu fazia era arte e eu pergunto porque, mas por que isso é arte e em algum momento eu acreditei nessa pessoa que mandou dizendo que isso era arte e eu fui lá em uma escola de arte E finalmente tentando achar o meu grupo Cheguei lá e falei Olha Esse é o meu trabalho faço isso E eles não entenderam absolutamente nada e os artistas fizeram uma análise sei lá psicanalítica super profunda Porque tem muito artista que fala assim Sofri muito perdi minha mãe Por isso eu to trazendo essa coisa que é o berço, o berço que representa esse afeto então tem artista que é assim que você não consegue entender absolutamente nada que ele está falando e eu não ia inventar aquele bando de coisas porque eu não pensei naquilo Então não se sabe como analisar esse tipo de trabalho A sociedade não compra esse tipo de trabalho.

arte designer

Não entende a importância de um design experimental e os artistas também repelem dizendo que é isso é uma outra coisa não é arte E a faculdade não incentiva porque acha que tem que ser uma coisa mais voltada para o mercado, então é um design que ficou em um limbo, então é um design que é muito importante para o mundo porque dita o futuro mostra um futuro para as pessoas investigativo, mas ele fica nesse limbo Toda vez que as pessoas acham que ou elas não entendem ou acham que é pessoal demais.

Porque você não foi a campo resolver um problema, porque você ficou em casa sozinho ali resolvendo Aquilo ali não Aquilo ali é muito pessoal Porque o design é feito para as pessoas Aquilo ali é pessoal demais Primeiro como se você não fosse uma pessoa Mas eles falam Mas é uma motivação muito pessoal então é arte Mal sabem os designers que todo o projeto tem um lado que é pessoal Você ter escolhido aquele projeto é super pessoal Você que decidiu aquele projeto Tinham vários temas você escolheu um projeto E várias decisões que tomou ao longo do projeto são super pessoais.

A graça é que todo o projeto tem um lado que é super pessoal e são de decisões pessoais que você vai tomando e algumas decisões são super objetivas de esclarecer para o público.

Para aprende mais sobre ferramentas, especificamente o Illustrator recomendo o Blog: http://engins-blindes-francais.wifeo.com

E são decisões que o projeto te pede você não toma tanto assim do ponto de vista da decisão pessoal. O projeto está pedindo aquilo, as vezes a gente precisa explicar melhor Então o projeto pede algumas coisas E as vezes a gente toma decisões que são super pessoais São decisões que são até estranhas engraçadas curiosas diferentes E essas decisões são as mais interessantes E cada projeto que eu vejo é uma soma dessas duas coisas De decisões que são super pessoais engraçadas curiosas com outras decisões que são mais objetivas do ponto de vista do projeto realmente.

O interessante é buscar esse equilíbrio entre essas duas coisas achar que um projeto é completamente objetivo que ele é super racional e só baseado em decisões que são objetivas é uma loucura Mas é óbvio que a questão pessoal está aí dentro de várias decisões que você tomou Sobre essa coisa de design e arte que é um tema que é super confuso e sempre é abordado eu tenho gostado muito de um designer chamado Michael Rock acho que eu já falei em outro vídeo aqui que ele tem um texto que é Designer como autor que é fundamental para resolver essa questão se o designer pode ter uma autoria ou não E fala que sim que pode O designer também é autor É autor escrevendo suas próprias coisas dirigindo produzindo A Ellen Lupton logo depois escreve um texto chamado Designer como produtor que é um pouco mais do que isso O designer que agrega pessoas produz coisas levanta projetos Esse movimento de um designer que não é só o passivo Não só executa uma coisa que o cliente pediu Está sendo um movimento muito importante do design saber que a gente pode criar etc.

arte

Quando Michael Rock escreveu Designer como autor acho que o movimento foi tão grande que as pessoas começaram a escrever um monte de besteira É autor Vamos escrever Escreve escreve escreve E nesse boom os designers começaram a escrever muita coisa criar muita coisa E muita coisa ruim Aí o Michael Rock recentemente sei lá em e alguma coisa escreveu um texto chamado Fuck Content Ele fala que também não é para sair escrevendo um bando de besteira que não é esse o nosso objetivo da nossa vida A gente não precisa sair escrevendo um bando de besteira porque na verdade o designer não trabalha também só com criar conteúdo mas a gente trabalha muito com pegar esse conteúdo e fazer uma curadoria dele como contar essa história Ele compara a gente o que eu acho uma linda comparação com um diretor de cinema A gente não é o roteirista mas a gente pega aquele conteúdo e de alguma forma cria nossa voz para aquilo Tem vários filmes que o diretor é tão importante ou muito mais importante do que o roteirista Muitas vezes a gente pega pra assistir um filme do Hitckcock Ou do Kubrick A gente não quer saber muito do roteirista que está por detrás daquilo A gente está lá pra ver como ele contou essa história dessa vez Então ele fala que o design pode ser mais ou menos assim O designer pode desenvolver uma voz própria e não precisa necessariamente só fazer o que o cliente quer Ele pode ter uma voz que deve e pode ser ouvida.

Ferramentas para Design

Hoje quero falar com você sobre ferramentas, você já tentou desparafusar com uma faca algum parafuso, aqueles do tipo phillips allen.

Esses nomes esquisitos assim mesmo, mas na verdade o que eles têm é uma cabecinha estranha, e a gente sempre vai tentar desparafusar com uma faca, mas espera aí. Você tem que escolher se a faca é de ponta, se a faca é redondinha e aí você vai lá, entorta a ponta de faca, espana a cabecinha ali do parafuso e você não consegue fazer com que o bendito do parafuso saia do lugar onde ele está.

Isso tem explicação, a explicação disso é o seguinte, ferramenta inadequada, e aí vamos entender o que que o design está ou como o design está para a ferramenta e como a ferramenta está para nós seres humanos.

ferramentas.png

Pensa no seguinte, a gente nasceu com unhas e dentes e por isso a gente pode cortar alimentos, a gente pode morder também e arranhar, mas a ideia não é muito essa, a gente pode cortar alimentos só que tem uma hora que você olha para uma maçã e ao contrário de querer morder você quer fatiar a maçã e aí unhas e dentes não permitem fatiar. Bom aí eu preciso de uma coisa fantástica, uma tecnologia maravilhosa transcendental chamada lâmina, e a lâmina da lâmina a gente faz e a gente fez a faca, essa é a ideia do design como uma atividade que auxilia a melhorar os níveis de conforto do nosso dia a dia, eu quero comer maçãs em fatias, então eu entendo as propriedades da lâmina, transformo a lâmina no que eu chamo de faca e a faca me permite isso, esse é o conceito de ferramenta.

O design existe para isso, através de ferramentas que são coisas materializadas, a partir da nossa necessidade humana de melhorar a nossa atividade igualmente humana, nosso conforto, nossa vida a gente consegue tornar todos esses desafios que o nosso corpo que a nossa estrutura física fisiológica dentro das nossas limitações, não permitiriam fazer Design e ferramenta, ferramenta para vida mais confortável talvez mais agradável, mas certamente mais confortável.

Por hoje é isso Ferramentas proporcionadas por uma inteligência humana no objetivo claro e inequívoco de transformar a vida para melhor.

Tenho certeza que você vai tirar os parafusos de um jeito diferente a partir hoje.